English


 Aracnofobia, limitações e tratamento

       A aracnofobia é um problema que limita a liberdade de algumas pessoas. Os aracnofóbicos não podem viajar para o campo com medo de se deparar com uma aranha. Não podem morar só num apartamento, pois se aparecer uma pequena aranha, tem que ligar para um familiar para que venha a retirar o inseto. Ao dormir tem que fazer uma checagem rigorosa atrás dos moveis para garantir que não ha aranhas no quarto. Algumas enfermidades psico-somáticas podem aparecer, decorrentes do stress experimentado durante anos. Muitas vezes a não compreensão do problema por familiares e amigos, levam os aracnofóbicos a serem surpreendidos por brincadeiras com aranhas de plástico ou mesmo de verdade.

       Até o momento todas as terapias anteriores envolviam a exposição a uma aranha (real, virtual ou imaginaria), mas pesquisas mostram que um 70% dos aracnofóbicos nunca fariam uma terapia envolvendo algum tipo de aranha.

       No SLAT as pessoas com aracnofobia evoluem positivamente sem necessidade de visualizar nenhuma aranha. O aracnofóbico, com a orientação do um profissional (psicólogo ou psiquiatra) instalará o programa para a visualização de imagens em seu próprio computador. Em seguida o paciente assistirá a uma apresentação preliminar de imagens, e a partir dela será realizada uma apresentação final individualizada em função do grau de stress que o paciente manifesta diante de cada imagem. Cada apresentação e preparada especificamente para cada paciente, não devendo ser compartilhada por outros aracnofóbicos. Finalmente, o paciente assistirá duas vezes por dia a apresentação individualizada.

        Os pacientes experimentam a melhora quando percebem que já não reagem do mesmo modo frente ao aracnídeo. Sudorese, inquietação, pulso acelerado somem depois de um mês e meio da correta realização do tratamento. Dos 29 aracnofóbicos voluntários com que foi realizada a pesquisa na USP, 27 ficaram tranqüilos a menos de 2 metros de uma caranguejeira de 8 cm dentro de uma caixa transparente, 20 pegaram na caixa e 17 abriram a caixa com pouca ou nenhuma ansiedade.
        O tratamento foi recentemente divulgado no programa Globo Reporter.

No programa, o método para tratar fobias do professor Javier Ropero Peláez foi aplicado pela psicóloga Laura C. Granado para tratar pacientes com aracnofobia. Cuidado! Nesta materia do Globo Reporter aparecem varias aranhas.

Clique aqui para assistir ao vídeo.